A infância de Mary Stuart

Postado por Staff PRBR

Arquivado em:

“Desde que Mary, Rainha da Escócia, era uma criança, os ingleses a queriam por seu país e por sua coroa.”

A introdução de Reign nos dá a deixa para explicar porquê Mary era tão valiosa para possíveis aliados e porquê ela foi parar na França.

childmary

Mary era descente de Margaret Tudor, assim como os três filhos de Henry VIII: Edward, Mary e Elizabeth. Eles eram primos, e todos tinham linhagem real apta ao trono da Inglaterra.

Aos 5 anos de idade, Mary foi prometida em casamento ao filho de Henry VIII da Inglaterra, Edward, herdeiro do país. Desde seu nascimento, a Escócia sofreu várias baixas devido a ataques ingleses para que a oferta de casamento fosse aceita. A aliança era considerada uma oferta de paz para a Escócia e Inglaterra, mas era também uma maneira destes últimos controlarem possíveis ameaças ao trono posteriormente.

O noivado não agradou a muitos católicos escoceses, já que para que Henry VIII pudesse se separar e casar com suas 6 esposas, teve que romper com a igreja católica. Sendo assim, sua mãe Marie de Guise decidiu que uma aliança com o país que ela nasceu e com qual a Escócia possuía uma longa aliança seria a escolha que melhor beneficiaria Mary e o país. Sendo assim, ainda aos 5 anos “ela foi enviada para a França para casar com o próximo rei” (leia com a voz do Nostradamus!)

childmary

Sua infância na França foi bastante luxuosa e despreocupada, estando mais protegida do que na Escócia e criada lado a lado com as princesas francesas, filhas de Henry II. Ela era desde criança admirada por sua beleza, e na França recebeu uma educação muito mais superior e completa do que já havia adquirido na Escócia (ela chegou ao país falando apenas sua língua nativa). Porém, sua educação sempre foi mais voltada para um futuro de rainha consorte da França do que para uma rainha reinante independente em seu próprio país. Isso levou a um certo despreparo no futuro após a volta de Mary para a Escócia, como veremos em outro artigo.

Diane de Poitiers, amante do rei, era a responsável pela educação de seus filhos e, consequentemente, de Mary. Isso levou a uma forte relação de afeto entre ambas, com Diane chegando a elogiar Mary para sua mãe Marie de Guise através de cartas, prometendo servi-la e protegê-la. Mary também tinha uma forte ligação com Francis II. Eles cresceram juntos e, apesar de sua saúde debilitada, Francis gostava de brincar  e cavalgar com outras crianças. Muitos afirmam que Henry II declarou que Francis e Mary se deram muito bem desde a primeira vez que se viram, e que criaram uma ligação íntima que durou até o fim de seu casamento.

 

Fontes

A despreocupada infância de Mary Stuart na França

Mary Queen of Scots

Francis II, the Dauphin

Childhood & France